Florim

R$ 39,90

Luciany Aparecida (Ruth Ducaso)

  • Editora:

    Paralelo13s
    Paralelo13s
Categorias: ,

A história central de Florim – primeira novela de Ruth Ducaso (assinatura estética da escritora Luciany Aparecida) – é a da Dita, uma mulher que trabalha no tráfico de drogas enquanto sonha em ser nomeada poeta.

O livro se compõe a partir de diferentes registros: relatos em primeira e terceira pessoa nos formatos diário, narrativa oral e poesia, e ao longo do texto da novela, vamos conhecendo a Dita em meio a fúria e a prisão. Seu deslocamento, solidão, prazer e encantamento.

Florim é drama de mistério e eu creio nele – nos avisa Denise Carrascosa, no seu encantador posfácio, e continua: O palco montado para Dita é de pathos trágico ancestral; é caminho de liberação de força na morte de uma mulher preta, filha contemporânea. Seus filhos emudecidos gritam sangue. Já Dita faz a ponte: entre vida e morte, é senhora dos seus descaminhos. Já Ruth, a du Caso, curiosa de contar a história de Dita – coisa secreta da ordem do incontável e incontado – não narra, performa, porque é mulher de “boca rasgada”: uma griot. (Denise Carrascosa).

Florim é um livro que fala do racismo estrutural na sociedade brasileira a partir de imagens que são registros e rastros do período colonial brasileiro, como bem aponta Grace Passô em seu belíssimo texto de orelha:

Florim, em seu título, revela a condição paradoxal de um território que nomearam Brasil. É, ao mesmo tempo, o nome da moeda de compra de escravizados e adaga que evoca Iansã. Entre a barbaridade e a proteção de Oyá, seguimos neste país de tragédias seculares e sobretudo da sanha indomável de suas mulheres. Florim é denúncia poética. É história de amor entre guerreiros do desmundo. (Grace Passô).

O que já disseram sobre Florim:

Florim: A poeta e traficante Dita nomeia a protagonista do primeiro romance da escritora baiana Luciany Aparecida, que assina como Ruth Ducaso – Resenha de Taynã Olimpia na Revista Continente – junho de 2021: https://revistacontinente.com.br/edicoes/246/florim

“Florim”, de Ruth Ducaso: Caixa acústica com muitas vozes – Resenha de Edma de Góis no Suplemento Pernambuco, 2021: http://www.suplementopernambuco.com.br/resenhas/2746-florim-,-de-ruth-ducaso-caixa-ac%C3%BAstica-com-muitas-vozes.html

Sobre a autora:

Luciany Aparecida é escritora, doutora em letras, com pesquisas nas áreas de teoria e crítica literária. Seus estudos pensam a literatura na interface: nação, imigração, história, memória, identidades e performances. É autora de Macala (2022), plaquete do Círculo de Poemas das editoras Luna Parque e Fósforo; Joanna Mina (2021), dramaturgia que resultou do edital Dramaturgias em Processos, do Teatro da USP. Com a assinatura Ruth Ducaso publicou: Florim (2020) e Contos ordinários de melancolia (2017) ambos pelo selo editorial paralelo13S.

Outros livros de Luciany Aparecida disponíveis na Livraria Boto-cor-de-rosa:

Contos ordinários de melancolia

Abrindo a boca, mostrando línguas

Peso 200 g
Dimensões 15 × 10 × 20 cm
Ano

2020

Autor/a

Luciany Aparecida (Ruth Ducaso)

Editora

Paralelo13s

ISBN

9786599233524

Nº da Edição

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Florim”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrinho de compras